terça-feira, 14 de dezembro de 2010

O que é Transtono Desafiador Opositor ou TDO?

O Transtorno desafiador opositivo é um transtorno disruptivo caracterizado por atitudes inadequadas e comportamentos negativista, opositivos, desafiadores e hostis contra qualquer figura de autoridade como pais, familiares e professores.
Os sintomas principais e mais freqüentes são: perde a paciência com facilidade, discute com adultos, desafia e recusa-se a obedecer a solicitações ou regras dos adultos, provocam deliberadamente os outros, não se responsabiliza por seus erros, perece sempre enraivecido, ressentido, rancoroso e vingativo.
Segundo o Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders (DSM-IV) os sintomas devem estar presentes por pelo menos seis meses e deve haver clara evidencia de prejuízo significativo no funcionamento social, acadêmico ou ocupacional da criança ou adolescente. Os pacientes apresentam grande prejuízo em seu desempenho social, constantemente se envolvem em brigas e discussões, sendo, comumente rejeitados pelos colegas, e há comprometimento da auto-estima.
Os sintomas começam ainda na infância em torno dos 6 aos 8 anos e transtorno desafiador opositivo apresenta-se em numero expressivo dos casos como um percussor do transtorno de conduta, sendo a forma mais grave de transtorno disruptivo do comportamento.
O transtorno opositivo desafiador é mais comum em meninos do que meninas.Comumente se observa a presença de transtornos comorbidos como TDAH, transtorno do humor e transtorno ansiosos. A etiologia do transtorno desafiados opositivo não está bem estabelecida, entretanto portanto acredita-se que fatores genéticos associados ao contexto ambientais possam estar envolvidos. Não há tratamento farmacológico bem-estabelecido para transtorno opositivo desafiador (TOD), porem existem psicoterapias de diferentes orientações teóricas têm sido usadas para tratar transtornos disruptivos, mas o maior corpo de evidência disponível na literatura atribui eficácia para abordagens cognitivo-comportamentais. Programas de treinamento de pais tem sido à base dos tratamentos cognitivo-comportamentais para transtornos disruptivos de crianças e, mais recentemente, “resolução colaborativa de problemas” também se mostrou eficaz.
O tratamento cognitivo comportamental consiste em ensinar aos pais o que modula o comportamento das crianças e influencia a chance dele ocorrer novamente. Além disso, ensina uma série de técnicas comportamentais envolvendo uso de atenção diferenciada, sistemas de remuneração e de restrições de remuneração, além de planejamento de situações de potencial confronto, entretanto é essencial verificar se as estratégias terapêuticas são eficientes para alterar os riscos de longo prazo de TDO, especialmente seu maior risco de transtorno de conduta. Se eles se comprovarem úteis para melhorar o prognóstico podem ser utilizados como uma medida de prevenção secundária para TC, que é um transtorno muito difícil de ser tratado.
Texto: Luiz Fernando D. de Oliveira

Nenhum comentário:

Postar um comentário